Educação

Educação ao ar livre é a nova “aposta” da maioria das escolas com a pandemia

            Necessidade de manutenção do distanciamento social favorece a adoção da educação ao ar livre na volta às aulas presenciais. Mas quais as vantagens do modelo? E como as instituições de ensino podem implementá-lo?

Aula ao ar livre: exploração do espaço, conquistas cognitivas e autoconhecimento
Crédito: Acervo/Wish School

         Andressa Lutiano, especialista em Educação Transformadora, de São Paulo/SP, aponta dez aspectos relevantes da educação ao ar livre:

  1. “Terceira via” para o momento atual: nem dentro de sala de aula, nem apenas em frente ao computador, com aulas virtuais;
  2. Incentivo à criação e à adoção, por educadores, de estratégias pedagógicas holísticas, que contemplem a aquisição de conteúdos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) por meio do desenvolvimento de habilidades cognitivas, emocionais, morais, interpessoais e culturais;
  3. Restabelecimento do contato com a natureza, parcial ou totalmente perdido durante o período de confinamento, e maior sensação de liberdade;
  4. Natureza como promotora de saúde física e mental e espaço de experiências e novas formas de aprendizagem;
  5. Experiência como caminho alternativo de descobertas e conquistas – cognitivas e humanísticas;
  6. Vivência prática como forma de incremento do interesse por temas trabalhados;
  7. Fomento à autonomia do aluno e à aprendizagem individualizada;
  8. Oportunidade para maior e melhor conhecimento do corpo, favorecendo o desenvolvimento motor e de habilidades correlacionadas;
  9. Incentivo à proatividade, à criatividade, à capacidade de execução, ao trabalho em equipe e ao trato com emoções contraditórias (por exemplo, a satisfação com a atividade realizada versus a frustração diante de eventuais dificuldades); e
  10. Maior sensação de integração e pertencimento entre aluno e escola.

          O tempo destinado à educação ao ar livre e/ou ao contato com a natureza pode variar conforme a idade da turma, o tipo de atividade, os objetivos de aprendizagem, a estrutura física da instituição da ensino e às condições climáticas – embora, neste caso, eventuais variações possam ser aproveitadas, desde que adotadas medidas específicas de proteção aos alunos. 

          Durante a pandemia, sugere-se que a utilização, ocupação e/ou circulação por espaços abertos e ventilados seja de pelo menos metade do dia letivo e com as devidas precauções sanitárias, por alunos, educadores e colaboradores da escola. 

Andressa Lutiano é diretora da escola bilíngue de educação holística Wish School.

Comentários

comentário

Laís Sass

Mulher, esposa, mamãe do Pedro e Mariana, e jornalista. Não sou rica, não tenho babá/empregada/cozinheira e não faço viagens cara$. Para dar conta (ou não) de TUDO isso, somente estando antenada nas novidades e praticidades do nosso dia-a-dia.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.